Deus é fiel para cumprir e fazer cumprir sua palavra

POR QUEM VOCÊ ESTA DISPOSTO A MORRER

Por quem estou disposto a morrer?

Quantas vezes você fez essa pergunta no correr da sua vida?
Quantas vezes você parou para pensar sobre isso?
Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas certamente pensou sobre o amor.
Há muitos na sociedade que tentam definir amor e paixão, dizem alguns que paixão é o desejo incontrolavel pelos prazeres sexuais, atrações fisicas e outras que levam para o mesmo caminho, e que o amor é algo profundo vem do coração e não é somente o desejo sexual, mas algo muito mais além. Eu diria que é um tanto dificil definir ambos, afinal, ambos expressam os mesmos sentimentos e os mesmos desejos. Eu não acreditaria em alguem que diz que ama alguem sem desejá-la em todas as esferas, incluindo a paixão isso falo de acordo com a ordem natural, não falando da esfera de amigos, família, etc., o que quero fazer entender e é onde quero chegar, é que quando amamos, não estamos somente dispostos a dar nem somente a receber, mas dispostos a morrer, é isso mesmo é dificil de entender tal expressão, mas esta é a realidade, quando há amor verdadeiro estamos dispostos a dar tudo que temos incluindo nossas próprias vidas, para ver a pessoa amada ou algo que amamos sendo idealizado. Vamos rebuscar o texto mais conhecido das escrituras, o coração da bíblia e o texto mais lido em todo mundo, (com ecxessão ao salmo 23), que é João 3.16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crer não pereça mas tenha a vida eterna”. A passagem aqui é extremamente clara, ele deu seu único filho, mais do que o amor de Deus ai estava também o amor do filho, a ponto de se entregar como sacrificio pela humanidade, à biblia declara algo mais, “Todo aquele que for pendurado num madeiro será maldito de Deus” (Deuteronômio 22.23) ver também Gálatas 3.13, Ele deu a sua vida e ainda foi considerado maldito pelos homens, não quero entrar no mérito de que além de ter sido considerado maldito e ser morto ele ainda passou, fome, sede, frio, não teve descanso, foi tentado, foi guspido, teve sede, passou por sofrimentos que nenhum homem justo até então havia esperimentado, (nenhum homem justo até então havia esperimentado…), de fato até ali nenhum homem justo havia experimentado, mas não diz que não experimentaria… Jesus disse: “aquele que não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim”… (Mateus 10.38) “medite no contexto deste versículo, aprenderá coisas fascinantes sobre o evangelho de Cristo”;então existe uma cruz, e mais… “Não vim para que haja paz mas para que haja espada…”,(Mateus 10.34), o restante deste versículo é um tanto pesado, mas real, se veio para trazer espada, se existe uma cruz para ser carregada, se há tribulações, como pregar a doutrina da comodidade? Devido a esta doutrina nós cristãos esquecemos-nos de nos perguntar sobre isso… ”por quem estamos dispostos a morrer?” Até Jesus, nenhum homem havia passado por tribulações sendo justo, mas depois disto vamos recordar alguns episódios.
Apóstolos:
Estavam pregando e testemunhando a cerca de Cristo, Pedro recentemente havia tido o feito de ganhar mais de 3000 almas com uma única pregação do evangelho, infelizmente, ou felizmente, (depende do nosso ponto de vista), ambos foram presos pelos soldados romanos e levados ao cinédrio, não tendo acusações maiores a fazer a respeito deles foram condenados a levar açoites e liberados, este versículo quando o li nunca mais saiu da minha memória, lembro-me do ano, foi em 2000, quando estava estudando sobre a vida do profeta Jeremias (para mim um dos maiores profetas que já estiveram nesta terra), na praia de Rainha do Mar – Xangri-la/RS, na ocasião eu era lider regional da Juventude Unida o Brasil para Cristo, e estudando li a seguinte mensagem “e todos saindo regozijavam-se por terem sido dignos de sofrer afronta pelo nome de Jesus”,(Atos 5.41), regozijavam-se… é muito mais do que alegrar-se, estes homens entenderam o propósito de Cristo, eles entenderam o amor de Jesus pela humanidade e resolveram seguir o mesmo rumo, se perguntassem para eles naqueles dias “por quem estão dispostos a morrer?” Eles não pensariam na resposta mas a teriam na ponta da língua e seria... “Jesus”. Não importava o preço eles estavam dispostos a paga-lo isso porque tinham entendido o verdadeiro sentido da palavra “amor”, tinham entendido o verdadeiro plano de Cristo para com os homens, e nós será que o entendemos?
Um dos maiores clássicos teatrais e conhecidos em todo o mundo é a peça “Romeu e Julieta” de Shakspher, essa peça feita posteriormente em várias versões com diversas interpretações, por vários autores diferentes, nunca deixou ninguém afadigado, mas sempre desejoso de conhecer uma nova interpretação, mesmo sabendo como ela terminaria, não só Romeu e Julieta, mas os maiores romances já feitos e escritos pelos homens têm tratado a vida de alguém que deu a vida por outro, ou, morreu por amor, infelizmente no original de Romeu e Julieta ambos morrem, mas tentam passar a mensagem do que é o mais puro amor. Os homens dão a suas vidas pela de seus filhos, pelas esposas, pelos pais (ainda que nossa sociedade tenha perdido este valor), da mesma forma as esposas dão sua vida pelo bem comum da família, mas qual o sentido de se morrer? Existe amor na morte? O que vai acontecer depois? Morrer por alguém não deixaria ele desamparado depois? Quem vai garantir que depois de se colocar no lugar de alguém irá garantir a segurança dele? Isto somente um pode garantir, e só Ele (CRISTO) é quem nos proporciona esta garantia e segurança.
Existem de fato pessoas que dão suas vidas por amar alguém, há privilegiados que realmente entenderam o amor e mais do que isso o encontraram, todavia, será que é tão dificil para o homem entender uma expressão de amor, e mais do que isso dar a vida por ela.
Na peça de Shekspher quando um percebeu que o outro havia se matado por uma negligência sua ele logo segue com a mesma sentença para então encontrar a pessoa amada na morte, muitos acham bonita essa atitude, agora volto dois mil anos atrás e percebo que alguém morreu por minha negligência, será que morro junto? Neste caso todos dizem… há mas Ele era filho de Deus, tinha que passar por isso… para quem usa esta frase aprenda uma coisa, o homem foi feito a imagem e semelhança de Deus em virtude e gloria ainda que terrena, no entanto, desejou abandonar tudo isso por sua livre e espontanea vontade, desde já perdeu este direito de relacionamento com Deus, portanto, Jesus não tinha que passar pelo sacrificio da Cruz pela minha culpa, ele não era obrigado a carregar a maldição que eu e vc desejamos viver,mas por amor desejou passar por isso. A outros que dizem “Ele venceu porque era filho de Deus…”. Amados Jesus nasceu de uma virgem em carne, sentiu fome em carne teve sede em carne, chorou em carne, indignou-se em carne, amou em carne, foi humilhado em carne, foi açoitado em carne, foi preso em carne, foi guspido em carne, foi torturado em carne, foi sacrificado em carne… e você ainda diz que Ele suportou por que era filho de Deus, cai na real irmão ele suportou porque amava, e te amava tanto que abstinou-se de comer, de beber, de sua gloria celeste de sua vida como filho de Deus e veio pra sentir o que você sente; comer o que você come; beber o que você bebe, e viver aquilo que você vive, todavia veio pra ganhar naquilo que perdemos e rejeitar aquilo que aceitamos; como diz Paulo aos corintios “O primeiro homem Adão foi feito alma vivente o último espirito vivificante” (1º aos Coríntios 15.45), veio para vivificar o que havia morrido, veio para transformar a velha criatura, veio para dar vida e vida com abundância, mas para isso existia um preço…”a morte” e quem amaria suficientemente o homem para morrer, não falo de morrer de paixão mas amor. Por quem você esta disposto a morrer?
Estevão.
Bravo homem, quem não se lembra dos feitos de Paulo, Pedro, Marcos, João… mas afinal quem é Estevão? Este homem mau teve tempo de escrever sua história. Diácono da igreja primitiva testemunhava fervorosamente do poder de Deus, quando pego pelos soldados Romanos foi levado a julgamento para que negasse a autoridade de Jesus, e não mais anunciasse o testemunho da ressurreição. Quanto dilema deve ter se formado na cabeça deste homem, será que vale a pena morrer? Eu poderia negar e depois me arrepender, assim não morro e continuo pregando? Ou talvez..., até Pedro negou por que não só desta vez? Não… ele estava disposto e convicto a pagar o preço da morte por aquilo que acreditou ser correto e justo na sua vida, foi levado para fora para assim ser apedrejado, um caminho longo ate o local onde haveria de ser morto, ainda dava tempo de desistir, teve que despir as suas roupas, ainda dava tempo de desistir, ficou de joelhos, ainda dava tempo de desistir, mas não ele de joelhos ainda proclama “Eis que vejo o filho do homem de pé a destra de Deus a me receber” espere um pouco leia atentamente este texto contextualize va um pouco mais a frente leia um pouco antes, meu DEUS, veja só, já houvi estas palavras antes “PAI NÃO LHES IMPUTES ESTE PECADO” (Atos 7.60) é a mesma coisa que dizer “PAI PERDOA-LHES, POIS NÃO SABEM O QUE FAZEM”. (Lucas 23.34).
Não importa quanto tempo Estevão tenha vivido ou quantas vidas tenha ganho, ele em seu pouco tempo havia entendido o propósito de Jesus, estava ali disposto a morrer por Jesus e mais do que isso disposto a morrer pelos seus assassinos, este verdadeiramente entendeu a mensagem de Jesus no monte das oliveiras, não sei se estava lá mas de fato cumpriu esta passagem “AMAI OS VOSSOS INIMIGOS E ORAI PELOS QUE VOS PERSEGUEM”. (Lucas 6.35). Será que é dificil para nós, homens desta geração, entender esta passagem do amor aos inimigos, de dar a vida por eles, e parar com bicuinhas, com aquelas fofoquinhas de irmãos falando que esta descontente por que o irmão não lhe cumprimentou ou por que seu amigo virou as costas pra você. Quantas vezes ficamos magoados por tão pouco, quantas vezes nos entristecemos por nada, quantas vezes nos entregamos ao ódio sem motivos, quantas vezes deixamos de amar e entender o verdadeiro sentido do evangelho, e ainda olhamos para cima e dizemos, o Senhor não nos abençoa, é chegada a hora de calar a boca e entender o evangelho de Cristo e ter resposta a esta pergunta “Por quem estou disposto a morrer?
Tiago.
Apostolo de Cristo, de fato, quando penso em Tiago, tento me colocar no lugar dele, e não sei se teria a mesma desenvultura, foi preso junto com Pedro, ambos condenados pelo mesmo crime, tenta adivinhar qual? Isso mesmo… o testemunho de Cristo é incrivel a aversão que os Romanos tinham com o testemunho de Cristo, bem..., com o apostolo Tiago não foi diferente, foi levado a julgamento público junto com Pedro, era festa em Roma e adivinha quem ia divertir o povo? Infelizmente ou felizmente (depende do ponto de vista de cada um) o apostolo Tiago foi o primeiro a ser setenciado, punição ser decapitado em praça pública na vista de todos os olhos inclusive os de Pedro. Outro que poderia ter desistido, pensem bem, foi levado para julgamento, podia ter desistido ali, foi preso, dava tempo de se arrepender, foi conduzido até Herodes, dava tempo de se arrepender, foi interrogado por Herodes, a chance de negar, foi levado a julgamento público, dava tempo de se arrepender, foi setenciado, a chance de gritar por misericórdia e negar todo o seu credo… mas não suportou a aflição porque sabia que com Jesus “aquele que perde sua vida achala – á e o que ganha sua vida perdela- á...,” (Mateus 10.39); pois bem ele estava disposto a achá-la e assim pagou o preço por isso, e Pedro que assistiu a Tiago sendo morto diante dos olhos de todos os que estavam ali presentes, imagine o que se passou na sua mente… “o próximo sou eu…” que dilema o de Pedro, já havia negado a Jesus uma vez era a sua chance de mudar isso e provar que nem mesmo a morte o separaria de Cristo e que jamais o negaria, todavia, a carne é fraca, o medo, a incerteza do amanha, tudo isso gira em torno da vida humana e com Pedro não era diferente, ele permeava os vales da dúvida tentando vencer sua fraquesa e alcançar a glória de Cristo, exemplos não lhe faltavam, afinal, estava ali diante dos seus olhos Thiago morto por Cristo, já Estevão tinha morrido, e ele por sua vez não morreu, mas venceu porque tinha clara e convicta a sua fé e a certeza de que se tivesse que morrer seria em Nome de Jesus, mais uma vez eu pergunto. Por quem você esta disposto a morrer?
Poderia aqui falar na vida de todos os apóstolos: Pedro: foi crucificado de cabeça para baixo nos dias do imperador Nero, João, conta a lenda, que foi mergulhado em um caldeirão de óleo fervente e tendo sobrevivido sem um só fio de cabelo ter sido atingido por este episódio foi condenado a viver na ilha de patmos até a sua morte (saiu de lá, segundo alguns, avançado em dias), a Ilha de Patmos é uma ilha rochosa muito usada para abrigar presidiários nos dias antigos, ilha esta, onde não há como plantar devido a seu terreno rochoso, também éra fadigante ter que construir uma morada nesta ilha, e foi nesta ilha que João teve a visão de Apocalipse. O que dizer então de Paulo que tendo sido arrastado pelas ruas de Roma por carros puxados por cavalos ainda foi condenado ao mesmo destino de Tiago, ser decapitado em praça pública aos olhos de todos os presentes; eu poderia falar de todos eles, afinal, todos entenderam o verdadeiro amor de Cristo e estavam dispostos a viver este amor nem que lhes custasse há própria vida. Mais uma vez: “Por quem você esta disposto a morrer?
Entre cavalos e cavaleiros, principes e princesas de clássicos infantis, infanto-juvenis e adultos, em todos existem alguém que bravamente depois de uma luta sangrenta, torna-se herói, para ser sincero, até nas novelas hoje tem sido assim, mas no passado houve alguém que largou sua espada, despiu-se de sua armadura, abandonou o seu reino, negou sua natureza, abandonou toda a riqueza, negou todos os seus servos, entregou-se a morte sendo acusado por crimes que eu e você cometemos, foi tido como maldito de Deus, para sem lutar conquistar a maior vitória da terra, vencer o que transformou as nossas vidas em um grande fracasso, derrotar o que fez de nós escravos, por que está escrito “Aquele que comete pecado é escravo do pecado...” (Romanos 6.16) e mais: “O salário do pecado é a morte…”(Romanos 6.23) e era esta a paga que permeava o jardim da humanidade, mas, “O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 6.23) (você consegue dar glorias por isso) graças a vitoria de Cristo, graças a sua morte, nós miseráveis homens, fomos restituídos e temos a chance de como Pedro provar que não somos mais aquele velho homem que nega mas agradecer viver e entender o plano de Deus nas nossas vidas e verdadeiramente recuperarmos o que desde o principio da criação foi deixado para trás “a imagem e semelhança com Deus” já dizia Paulo “Sede imitadores de Cristo como filhos amados”(Efésios 5.1) e o que dizer então do novo mandamento de Cristo “Um novo mandamento vos dou… Amai-vos uns aos outros como eu vos amei…”(João 15.12) Santo Deus, o amor de Cristo valeu sua própria vida então como deve ser nosso amor; Por quem você esta disposto a morrer?
Em uma doutrina de prosperidade, eu gostaria que me explicassem como interpretar isso, afinal, de que forma poderemos provar nosso amor por Deus quando somos apenas recebedores da sua graça? Não há dinheiro que paga as dádivas de Deus, não há suplicas que cheguem a ser considerados pagamentos, mas se há algo que toca o coração de Deus é quando verdadeiramente estamos dispostos a servi-lo, não importando as circusntancias o adorando com todo nosso corpo, alma e espirito.
Afinal, amamos a Deus ou não o amamos, até onde esta o nosso servir, até onde vai o nosso amor, quais são os limites de nós como filhos de Deus, será que estamos realmente dispostos a seguir os passos de Cristo e amar a humanidade assim como ele nos amou?
Veja neste versículo a ousadia de Paulo: “Sede meus imitadores como eu sou de Cristo...” (I Corintios 11.1) e mais: “Não sou mais eu quem vivo, mas Cristo vive em mim...”(Gálatas 2.20), desde já, se Cristo habita nele ele esta disposto a morrer pela causa de Cristo, e nós será que Cristo habita em nossos corações ou meramente vivemos uma ética de vida para sermos bem vistos pela sociedade, porque se Ele habita em nós, com certeza nem nossa vida nem bens, nem nada que possa vir a existir poderá aniquilar o amor ágape que nos leva a dar a nossa própria vida por amor a Deus.
Veja o comparativo de Salomão a respeito do amor: “Ainda que alguém desse todos os bens de sua casa seria de todo inútil por esse amor; as muitas águas não poderão apagar esse amor nem os rios afogá-lo; (Cantares 8.7) O que ele quis dizer com isso, amados não importa o quanto à enchente devaste sua vida tudo poderá se diluir, todavia o amor continuará.
Não quero aqui dizer que você deve se matar por Cristo, (jamais faça isso ou entregará sua alma direto ao inferno), nem que Deus vai tirar a sua vida, (até porque se vivemos, um plano ele tem conosco aqui na terra), todavia, o que pergunto hoje é o que vale mais nas nossas vidas, Cristo ou..., minha vida? Difícil responder, acabo de ficar em um dilema, se eu colocasse na balanço Cristo e meus bens materiais, diria que seria Cristo, agora quando se fala de minha vida, ou mais ainda de minha família, a coisa começa a pender pro lado da reflexão, e não diga que não pensa enganaria-se a si mesmo se dissesse que nada importa, Cristo é mais importante, de fato é: Agora veja este testemunho, não sei se verídico ou não, não sei o nome dos personagens, mas houvi numa pregação ministrada pelo missionário Adão Peres no ano 2000 no dia 07 de Julho na praia de Rainha do Mar, Xangrila/RS:
• Um casal de missionários juntos de sua filha, que na ocasião tinha 12 anos, estava testemunhando a cerca de Cristo em um povoado muçulmano, ambos foram seqüestrados por radicais que desejavam faze-los converter-se ao Islamismo, o casal foi espancado até ficarem totalmente debilitados, e de forma nenhuma negaram o evangelho de Cristo, todavia, os extremistas apelaram para outra fonte e começaram a espancar a menina de 12 anos na presença de seus pais, foi uma tortura sem controle, os pais pediam imploravam para que os muçulmanos parassem de espancar sua filha, mas nada, a menina começou a sangrar muito e já não resistia mais a tortura e caiu na presença dos pais quase morta, o pai na angustia por ver sua filha sendo torturada não suportou e gritou. “EU NEGO... MAS POR FAVOR, DEIXEM MINHA FILHA VIVER...”, uma atitude covarde ou de honra? O missionário não parou por ai, a menina tendo ouvido o pai, levanta lentamente usando as últimas forças que lhe restavam olhou fitamente para ambos pai e mãe e disse: “NÃO PAI, NÃO NEGUE A JESUS, NÃO SE CONVERTA AO ISLAMISMO, DEFENDA A SUA FÉ” dizendo isso caiu morta. “Por quem você esta disposto a morrer?”
Vamos correr um pouco na história, um pouco a frente eu diria no século XV, por volta deste século viveu um homem que viria muito a marcar a história do Cristianismo, discipulo de Jonh Wicliff, JONH RUSS este homem deixou sua marca como mártir, o evangelho já havia deixado de ser propagado há muito tempo, o povo não tinha mais acesso as escrituras e a única coisa que conheciam era o que a igreja católica ensinava; os decretos do papa, as indulgências, a Inquisição foram fatos que marcaram este século, mas também foi marcado por este homem, cardeal da igreja católica, ele descobriu a verdade do evangelho e resolveu propaga-la aos camponeses, a igreja católica revoltada com a ação do cardeal, não pensou duas vezes mandaram logo prendê-lo e o levando a julgamento público como herege deram-lhe a chance de se retratar e pedir perdão por tudo que havia ensinado que contradizia os princípios católicos, era a chance de este homem viver, e outros tantos que o seguiam, todavia, este homem não negou seu credo e estava disposto a pagar o preço por ele, quase 1500 anos depois alguém estava tomando as mesmas atitudes dos apóstolos e estavam dispostos a morrer por Cristo, pois bem, a sentença foi ser queimado no madeiro, em praça pública, e eu pergunto: existe alguma morte pior do que a de fogueira? Não imagino como é mas quando queimo alguma parte do corpo sei que dói pra caramba, e alguém já deve ter se queimado ao menos para imaginar como eram as mortes daqueles que se revoltavam contra o sistema nos dias da inquisição, pois bem, ele foi queimado, como se não bastasse, cantava louvores a Deus, e mais, gritou uma frase que atravessaria gerações sendo testemunhada: “Hoje vocês queimam um ganso mas em cem anos nascera um cisne que não poderão queimar”, coincidência ou não cem anos depois nasce o mais famoso homem da reforma da igreja Martin Luter ou Martinho Lutero.
Quem era este homem? Por mais leiga que a pessoa seja, algum dia na vida já ouviu falar de Martin Luter, pois bem, caracterizado pela sua coragem e seu testemunho, Lutero, reformador Alemão e fundador da Igreja Evangélica Luterana, também desafiou a autoridade papal, fundou suas 91 teses onde refutava grande parte dos ensinamentos catolicos, incluindo a Santa Ceia e as indulgências, Lutero foi um dos primeiros homens a interpretar a bíblia na linguagem do povo distribuindo 500 exemplares do NT na linguagem alemã (a imprensa encarregou-se do resto), antes de Lutero, Jonh Wicliff havia traduzido a Bíblia para o Inglês, todavia, a reforma ainda não havia criado repercursão no mundo e infelizmente conseguiram barrar grande parte de suas obras e feitos. Alem disso Lutero tinha grande apoio dos principes alemães que o esconderam durante muito tempo para que pregasse e testemunha-se a cerca de Cristo. Em um concílio em Amnsterburg Lutero foi levado a julgamento e ali como homem diante de uma sociedade gigantesca ele tinha a chance de se retratar com a igreja católica; O APELO? Queimasse todos os seus livros em praça pública reconhecendo que estava errado. Era a chance que Lutero precisava para dar inicio a um grande colápso religioso, afinal, como homem ele poderia ter desistido, muitas coisas poderiam ter lhe passado pela cabeça… poderia ser condenado como herege pela igreja católica tendo o mesmo fim de seu antecessor JONH HUSS sendo queimado em praça pública, mas se desistisse poderia sobreviver; poderia ser excomungado da igreja católica, como o foi, e viver como um desgarrado, ou arriscar todas as pedras que tinha para lançar portando sua vida, sua literatura, sua moral, seu carater, sua personalidade e seus discipulos todos em jogo, Lutero estaria em cheque mate se em julgamento público não usasse com sabedoria as palavras que usou: “Provem-me pelas escrituras que estou errado e queimarei toda minha literatura retratando-me com a igreja católica e com o papa”. Eu não estava lá, mas imagino o silêncio que houve depois destas palavras, imagino a furia dos eclesiásticos que houviam dele tais coisas, imagino o ódio alimentado pelo inferno em cada coração, desejando e maquinando todo o tipo de mal contra Lutero, não houve resposta da Igreja catolica e devido a isso abriu-se um vasto leque para a reforma.
Graças a ousadia de Lutero e sua coragem temos o evangelho que conhecemos hoje, mas ele estava disposto a pagar o preço por isso, estava disposto a colocar sua vida em cheque por uma causa que acreditava ser justa, e você esta colocando sua vida em cheque? Esta crendo naquilo que vive e ensina? Acredita no testemunho da fé? Acredita que vidas podem ser curadas e salvas pelo sangue do cordeiro? Acredita que mortos podem ressussitar? Acredita que milagres sobrenaturais podem acontecer? Então porque não acontecem? A bíblia fala que se tivermos a fé do tamanho de um grão de mostarda grandes obras faremos pelo nome de Jesus, então o que há de errado? Amados o que tem de errado não esta somente na nossa fé nem nas nossas orações, mas na nossa determinação de servir a Deus, a nossa disposição em dar a nossa face a bater e esquecer de quem somos, esvaziar-se de nós mesmos para viver o cristianismo pleno, dispostos a encarar até mesmo o que o mundo chama de vergonha para ver o nome de Cristo engrandecido, e não falo somente de você leitor mas de mim também que durante toda uma trajetória de cristianismo tenho vivido e visto grandes milagres de Deus, no entanto, não entendo como ainda me falta coragem para ver as grandes maravilhas que ele pode continuar fazendo por mim. E em você não falta coragem pense bem por quem você estaria disposto a morrer?
Disposto a morrer?...
Vamos metaforizar estas palavras, não sei se existe esta palavra no nosso português metaforizar mas vamos tentar entender o que é morrer.
Eu ouvi uma mensagem muito interessante no dia 07/03/2010 que falava algo mais ou menos semelhante ao que quero aqui passar. Falava da vida de Jó.
Quem era Jó, “Um homem reto e integro na presença de Deus...” (Jó 1.1). A muitos incrédulos, ateus e outros que nunca leram as escrituras, mas já ouviram falar na história de Jó, pois bem, pergunto a qualquer cidadão dos nossos dias quem estaria disposto a fazer o que Jó fez ou se quer passar um pouco do que ele passou uma frase muito me marcou na vida de Jó: “Deus deu, Deus tirou…”(Jó 1.21) primeiro ele entendeu que Deus estava no controle de tudo… “nu vim a este mundo, nu tornarei ao pó da terra”,(Jó 1.21) aqui ele entende os planos de Deus e esta disposto a obedece-los, “Tu falas como uma doida”,(Jó 2.10) aqui ele perdia a esposa mas não se desviava da vontade de Deus, (jó perdeu casa, filhos, plantações, servos, riquezas, poder, status…) e mais do que isso foi envergonhado diante de toda sociedade, quem em nosso século esta disposto a passar pelo que Jó passou sem esperar nada em troca. Vamos imaginar que por ventura venhamos a perder tudo o que um dia construímos nas nossas vidas e na sociedade, bens, status, emprego, família..., e mais do que perder não esperarmos conquistar todas essas coisas outra vez, acompanhe meu raciocínio; hoje falamos da fé, sempre cremos que as coisas sempre podem melhorar, e se piorarem é por que Deus tem uma vitória muito grande para nossas vidas, todavia, quando esta vitoria demora a vir nos frustramos e muitas vezes até nos desviamos da verdade, o que peço que seja analisado é sobre a vida de Jó, acaso ele esperava receber tudo de volta? Ele entendia que estava apenas passando por um momento de provação? Acho que não; sua vida foi marcada pelo amor a Deus incondicional... Incondicional, isto significa... Independente das circunstâncias que o cerquem ele sempre amará... Então se hoje perdêssemos tudo sabendo que nunca mais alcançaríamos nosso status com a sociedade, nosso emprego e até mesmo nossa família, será que ainda conseguiríamos amar a Deus?
Certa vez em um estudo com adolescentes fiz esta pergunta: Por que você ama a Deus? As respostas quase que foram unânimes: amo a Deus por que ele é bom; amo a Deus por que ele é amor; amo a Deus por que Ele me deu vida; amo a Deus por que ele me amou primeiro, amo a Deus, por que ele me abençoa...; não tive uma resposta convincente sobre o amor a Deus, afinal, todos amavam a Deus por algo que ele faz em suas vidas, ou seja, se algum dia ele deixar de fazer por qualquer motivo então deixaremos de amá-lo? Deus compara seu amor pela igreja com o mesmo amor que o noivo tem com a noiva, este sentimento deveria ser recíproco da igreja, recebendo o noivo com o mesmo amor, todavia, somos tão egoístas com o nosso sentimento que o compartilhamos com Deus somente quando recebemos algo em troca... Faz tempo que não vejo a igreja (e vejo isso na minha vida também) fazer um jejum para Deus sem pedir nada em troca, sem propósito a não ser o de engrandecer seu santo nome, normalmente quando oramos, quando cantamos, quando fazemos qualquer cerimonial, na grande maioria das vezes esperamos receber algo de Deus, e o agradecimento na maioria das vezes fica em último plano; na vida real não é este o amor de uma noiva para com o seu noivo, realizem comigo este pensamento; a noiva esta com seu casamento marcado, os dias estão se aproximando da grande festa, seu coração bate mais forte do que nunca, sua ansiedade na preparação da festa ainda é maior, seu noivo pode ser um imprestável na visão de muitos, mas para ela é o príncipe encantado que realizará todos os seus sonhos e lhe proporcionara uma vida de felizes para sempre, ela sabe que haverá as desavenças, as brigas, a sogra, e outras picuinhas que possam surgir durante seus anos de vida, mas esta disposta a pagar o preço para viver do lado do seu amado; nós como noiva de Cristo deveríamos estar assim, os dias se aproximam das bodas, a festa já foi marcada por Ele, cada dia que passa é um dia a menos na contagem regressiva, no entanto, a única coisa que vejo a igreja compartilhar deste episódio, são as luxúrias, não vejo uma preocupação nossa em agradar o noivo, não vejo preparativos, maquiagem que nos possibilitem ficar perfeitas para o noivo, não vejo uma preocupação com os preparativos da festa, nós nem mesmo estamos preparando o salão ou vendo a decoração, não nos preocupamos nem mesmo com o vestido, onde esta a noiva imaculada a amada sem defeitos como descreve Salomão em cantares de Salomão, há... amados..., temos que nos encontrar nos trilhos outra vez, temos que voltar para o caminho do qual nos desviamos já há muito tempo, temos que entender a palavra que Jesus nos deixa, “quem perder a sua vida por minha causa achá-la-á...” e penetrar no verdadeiro sentido do evangelho, entender o verdadeiro sentido do amor e Entregar as nossas vidas a isso, estar disposto a morrer por Cristo acima das circunstâncias, não pelas dádivas que ele tem nos proporcionado no decorrer de nossa existência, mas por quem ele realmente é, fazer as coisas não esperando nada em troca, agradá-lo esperando dele somente um agradecimento, entender que não somos dignos de nenhuma dádiva vinda dos céus, pois ele mesmo deixa claro nas escrituras: “Se fizerem tudo que vos mando ainda assim serão servos inúteis por que fazeis somente o que vos mando” se somos inúteis fazendo somente o que nos é mandado o que sobra pra nós que não conseguimos fazer nem o que nos é ordenado fazer; não temos direito a nada e devemos entender que nossas vidas estão condicionadas a misericórdia de Deus e é somente a sua misericórdia que vai nos possibilitar a sua graça, o que temos que preservar em nossas vidas é uma vida de temor, uma vida de amor incondicional, uma vida onde não esperemos luxurias da parte de Deus, mas estejamos nos trilhos esperando que ele conduza o trem para o seu destino, o pilotando, seja por montanhas seja por vales, seja por desertos, ou qualquer desnível que possas existir, mas que nos somente andemos nos trilhos entendendo que ele é o condutor e mapeador do caminho e que se cairmos, pararmos, estragarmos por qualquer motivo, e não tivermos mais concerto venhamos a entender no final de tudo que: mesmo parados, estragados, sem combustível ou fora do trilho, ainda estamos com o condutor. Não importam os vales que tenhamos que passar a bíblia não nos condena a chorar as tristezas que fazem parte das nossas vidas, mas vivamos para Deus, o deixemos conduzir as nossas vidas, deixemos seu Espírito Santo nos consolar de todas as mágoas, deixemos o Espírito santo nos ensinar o que é amor, deixemos o Espírito Santo nos conduzir até Deus, deixemos ele nos dar forças para vencer, o deixemos ser o nosso mestre, deixemos ele nos fazer entender que somente Deus é o senhor e que está no controle de tudo o deixemos conduzir nos trilhos da vida, nos dando forças para ser grato a Deus até mesmo nas horas mais difíceis e entender o verdadeiro amor, entender que ele está no controle de tudo e que nada nos acontecerá sem que ele permita, e ainda que o mundo desabe Ele estará nos conduzindo nos caminhos estreitos nos dando vitórias, e mais, se tivermos que morrer nesta situação que nos importa, no final estaremos junto com Ele e é esta a vitoria que espero alcançar e se tiver que morrer por alguém que seja por Ele, que seja pela causa do evangelho, que seja pelo amor a Cristo, que seja para marcar não meu nome, mas a graça que encontrei no evangelho, a força que encontrei no Espírito Santo o perdão que encontrei em Deus para servir de testemunho não ao meu sangue, mas as nações de que Deus é Deus e minha vida pertence a ele para ser feito o que Ele quiser dela seja com riquezas ou não seja com alegrias ou não, seja com vitorias ou não, não importa a situação, não importa o momento, e as circunstâncias meu desejo é somente fazer como Paulo e dizer “COMBATI O BOM COMBATE, ACABEI A CARREIRA, GUARDEI A FÉ”...(2 Timóteo 4.7) Guardei a fé... Que fé? “A ESPERANÇA DAS COISAS QUE NÃO SE VIRAM, MAS QUE SÃO AGUARDADAS”(Hebreus 11.1) e são essas que espero aguardo e estou disposto a morrer e espero no Espírito Santo forças para resistir até o final... E VOCÊ POR QUEM ESTÁ DISPOSTO A MORRER?
“(Romanos 14:8) - Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.”
Tenha esta convicção!
Por:
Edison Iedo Cacequi Júnior